Digite algo para iniciar a pesquisa

CAMPOS DE JÚLIO - Justiça suspende contrato de serviços de...

personGeral access_time21 Setembro 2017

Por CLÊNIA GORETH A Justiça acolheu pedido liminar efetuado pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso e determinou a suspensão de um contrato firmado entre...

ARRECADAÇÃO – Araputanga recebeu R$2,45 milhões de reais em agosto/2017

personCidades access_time21 Setembro 2017

O mês de agosto/17 rendeu, a título de transferências constitucionais para o município de Araputanga R$2.450.275,60 (Dois milhões, quatrocentos e cinquenta mil, duzentos e setenta e...

ARAPUTANGA - Pequeno acidente próximo à Rodoviária

personCidades access_time21 Setembro 2017

Um pequeno acidente entre dois veículos, um Nissan, cor branca, placas de Araputanga QBH 1669 ano e modelo 2014 e um Fiat Uno, cinza, placas JDU...

Artigo

Agente e ex-presidiária são presas por esquema de ingresso de celulares em cadeia de Colíder

access_time chat_bubble_outlinePolícia
FONTE

Uma agente penitenciária e uma ex-presidiária foram presas envolvidas em esquema de corrupção para ingresso de aparelhos celulares na cadeia feminina de Colíder (650 km ao Norte) foram presas nesta terça-feira (05.09), na operação “Corruptus”, da Delegacia da Polícia Judiciária Civil do município.

Agente F.R.S, 40,  e a ex-presidiária S.C.S, 30, tiveram mandados de prisão preventiva cumpridos e vão responder pelos crimes de organização criminosa, corrupção passiva e outros delitos em apuração ainda.

Conforme o delegado Ruy Guilherme Peral, a agente penitenciária teria lucrado pelo menos R$ 10 mil reais com ingresso de aparelhos celulares na cadeia local. Os aparelhos eram comercializados pelo valor de R$ 1,5 a 2,5 mil, dependendo se tinha ou não instalado o aplicativo whatsapp.

A ex-presidiária recebia os depósitos bancários e fazia o repasse à servidora pública. Conforme a investigação, as encomendas eram feitas pelas presas. Uma reeducanda com trânsito livre da unidade prisional fazia a ponte, passando de cela em cela recolhendo os pedidos. Os aparelhos eram adquiridos e entravam dentro de pacotes de absorventes.

 Fonte: PJC/MT